segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Devaneios - Poesia

Devaneios
(Janete Maia)
Não bastaram as lembranças, queixas e dores do passado
Nem as percepções da realidade presente
Tampouco as expectativas, sobressaltos e mistérios do futuro.
Eu quis mais...
E adormeci... desejando a onisciência
E uma espécie de controle
Que não reprimisse o meu próprio eu
E flutuei em minha mente sem limites, nem cansaço
Não posso ilustrar as sensações
Os sentidos, mistos de realidade e sonho
Mistos de certo e de errado
Todavia sei que eu quis amar e amar
Voar com meus amados entre as nuvens brancas
Pairar sobre a atmosfera
E me congelar entre as estrelas douradas
Pousar no cume do universo sentindo a ausência do tempo
E vendo a existência de tudo que é e estar
Descobrir os prazeres indecifráveis, visíveis e invisíveis
Dizíveis e ocultos do Criador
Para jamais acordar
E então...
Viver feliz...
Sem medo
Sem culpa
Sem lucidez
Sem razão
e
Sem final


Nenhum comentário:

Visitantes